Brasileiro que foi executado na Indonésia vira documentário

O brasileiro executado em janeiro pela polícia indonésia depois de passar 11 anos preso por tráfico de cocaína, é tema do documentário.

O documentário Curumin, dirigido por Marcos Prado, conta a história de Marco Archer que foi preso por trafico internacional de drogas quando entrava na Indonésia com cocaína. Bem light né?

Marco era conhecido no Rio de Janeiro como Curumim. Ele era muito conhecido e querido na comunidade de asa delta, bar da lagoa, hípica. 

Preso em 2003, Archer foi quem fez contato com o diretor Marcos Prado (“Paraísos Artificiais”) para pedir que ele filmasse sua história, como um diário do corredor da morte. Os dois se conheciam desde moleques. O doc foi feito sem nenhum apoio da embaixada do Brasil na Indonésia, que não ajudou o cineasta nem para falar com Marcos.

Vocês sabem que entrar na Indonésia com droga é igual a ser preso e executado. Todo mundo já sabe disso. Curumim tentou até seu ultimo segundo de vida escapar da execução. Acredito até que esse documentário foi criado como tentativa de escapar da prisão.

O doc é intenso, com mais de 80 horas de conversas gravadas por telefones e imagens gravadas clandestinamente no corredor da morte pelo próprio Archer, e com entrevistas, encenação e imagens de arquivo, que recriam a trajetória do amigo dos amigos das festas cariocas, fuzilado na Ásia em janeiro do ano passado.

Exibido sob aplausos na mostra Panorama, do Festival de Berlim, o filme estreia no Brasil em 3 de novembro.

Vejam o trailer abaixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *